Retiro sobre Rodas na Terra Santa: Renovando minhas promessas matrimoniais e minha família

Mês de agosto, mês da família. Família que Deus Pai quis que seu Filho tivesse ao vir ao mundo para nos salvar como mostramos em nossas postagens Verbum Caro Hic Factum est e Os Avós do Filho de Deus.

São João Paulo II disse:

A família é uma comunidade insubstituível por qualquer outra.

Jesus habita com a família cristã, nascida no Sacramento do matrimônio; Sua presença e a realização de seu primeiro milagre, nas Bodas de Caná da Galileia, significa que o Senhor quer estar no meio da família, ajudando-a a vencer todos os seus desafios.

Vejamos o que nos fala São João:

Três dias depois, celebravam-se bodas em Caná da Galileia, e achava-se ali a mãe de Jesus. Também foram convidados Jesus e os seus discípulos. Como viesse a faltar vinho, a mãe de Jesus disse-lhe: “Eles já não têm vinho”. Respondeu-lhe Jesus: “Mulher, isso compete a nós? Minha hora ainda não chegou”. Disse, então, sua mãe aos serventes: “Fazei o que ele vos disser”. Ora, achavam-se ali seis talhas de pedra para as purificações dos judeus, que continham cada qual duas ou três medidas. Jesus ordena-lhes: “Enchei as talhas de água”. Eles encheram-nas até em cima. “Tirai agora” – disse- lhes Jesus – “e levai ao chefe dos serventes”. E levaram. Logo que o chefe dos serventes provou da água tornada vinho, não sabendo de onde era (se bem que o soubessem os serventes, pois tinham tirado a água), chamou o noivo e disse-lhe: “É costume servir primeiro o vinho bom e, depois, quando os convidados já estão quase embriagados, servir o menos bom. Mas tu guardaste o vinho melhor até agora”. Esse foi o primeiro milagre de Jesus; realizou-o em Caná da Galileia. Manifestou a sua glória, e os seus discípulos creram nele. (Jo 2, 1-11)

Caná da Galileia é o local do primeiro milagre de Jesus, acontecido em uma festa de casamento. Aqui segundo a tradição, nossos casais de peregrinos costumam renovar suas promessas matrimoniais. A pergunta que ouvimos frequentemente quando chegamos a Caná é:

Qual o sentido de renovar as promessas de casamento neste local se o milagre foi a transformação da água em vinho e a festa de casamento era apenas o pano de fundo?

Na realidade, como mencionamos acima, quando Jesus escolheu fazer o primeiro milagre de sua vida pública em uma festa de casamento foi para mostrar a todos nós o seu amor pela família, a ponto de ter escolhido vir ao mundo através de uma e relacioná-lo à primeira promessa de Deus Pai aos nossos primitivos pais, Adão e Eva, com a promessa do milagre da procriação, instituindo desta forma a família.

Deus criou o homem à sua imagem; criou-o à imagem de Deus, criou o homem e a mulher. Deus os abençoou: “Frutificai – disse ele – e multiplicai-vos, enchei a terra e submetei-a. Dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu e sobre todos os animais que se arrastam sobre a terra”. (Gn1, 27-28)

e ainda:

Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e eles se tornarão uma só carne. (Gn2, 22)

Naquela festa faltou algo que não podia de forma alguma acabar, o vinho. Há um provérbio judaico que diz: “Sem vinho não há alegria”, principalmente em uma ocasião festiva como um casamento. Pelo fato das celebrações de casamento naquela época durarem aproximadamente sete dias, esse fato era uma catástrofe e nisto reside a importância do milagre na visão dos convidados.

Ao analisarmos a passagem das bodas de Caná, vemos que toda ela está firmada na obediência, a base de sustentação de uma família saudável e duradoura.

Para nos mostrar que toda família começa com a obediência dos filhos aos pais, Jesus nos dá o exemplo e, mesmo entendendo não ser ainda o momento de sua revelação, atende ao pedido de Maria realizando o milagre.

O que chama a atenção nesse texto sem dúvidas é a obediência dos serventes. A mãe de Jesus quando chamou-os, disse:

Fazei tudo o que ele vos disser.

Os empregados seguem a fala de Maria, e obedecem o que Jesus falou a eles. E qual foi a sua ordem?

Enchei as talhas de água.

Como podemos ver durante a visita às ruínas abaixo da igreja do primeiro milagre, estas talhas eram grandes jarros de pedra com capacidade de 68 a 102 litros cada uma. Naquela época não tinha bomba hidráulica, como temos hoje, então tiveram que encher as 06 talhas de balde em balde. Aproximadamente 600 litros de água, enchendo com balde, não é fácil! Porém tiveram que fazer pois escolheram fazer tudo que o Mestre pediu.

Assim é a construção de uma família, uma tarefa árdua. As vezes para encher as talhas da nossa vida familiar temos que fazer de balde em balde, em um processo demorado e muitas vezes sofrido.

A grande recompensa da obediência deles foi a água transformada em vinho, ou seja, apesar de ter sido de balde em balde, lá na frente provaram da alegria de Cristo.

A nossa recompensa pela construção de uma família sólida, fundamentada no amor de Cristo, pode demorar para chegar, porém, podemos ter certeza que mais cedo ou mais tarde provaremos da alegria do Espírito Santo em nossas vidas.

Ao final de nossa visita a Caná da Galileia, nossos peregrinos sentem não apenas suas promessas matrimoniais renovadas, mas principalmente seus corações e famílias restauradas e a certeza que uma família se constrói balde a balde e que o bom vinho de Cristo vem no final e não no começo, por isto celebremos.

Em nossos próximos posts, continuaremos caminhando com Jesus, vivendo seus milagres e ensinamentos e assim restaurando nossas almas para Ele.