Retiro sobre Rodas na Terra Santa: Monte Tabor – Jesus mostra a Sua glória

Continuando a serie, Conhecendo nossos locais de visitação, hoje dividiremos um pouco sobre o Monte Tabor, o Local da  transfiguração, onde Jesus apresenta, de forma indubitável, toda sua glória divina, confirmando assim a recente confissão de Pedro:

Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo (Mt, 16,16)

Monte Tabor

O Monte Tabor eleva-se pouco mais de 300 metros acima do terreno circundante,   solitário no meio da planície e em razão de sua forma cônica, único em toda a proximidade parece ter uma altura imponente. Do seu cume, um amplo planalto onde também abundam os ciprestes, avista-se um panorama muito belo. Estas características converteram o Tabor em local de culto dos povos cananeus, que adoravam os ídolos nos lugares altos, e também em fortificação militar, como vigia sobre a região.

O monte tabor é citado no antigo testamento, pela primeira vez no livro de Josué 19,22, como fronteira de três tribos e posteriormente em Juízes 4,6 quando Débora, a profetiza,  reuniu dez mil israelitas, sob o comando de Barac, que puseram em fuga o exército de Sisara.

Embora no Novo Testamento não apareça citado pelo seu nome, a tradição rapidamente identificou o Tabor como o lugar da transfiguração do Senhor, conforme nos relatam os evangelistas Marcos e Mateus:

Jesus tomou consigo Pedro, João e Tiago e subiu ao monte, para orar. Enquanto orava, alterou-se o aspecto do seu rosto e as suas vestes ficaram de uma brancura refulgente. Dois homens falavam com Ele: eram Moisés e Elias, que, tendo aparecido em glória, falavam da morte de Jesus, que ia consumar-se em Jerusalém. Pedro e os companheiros estavam a cair de sono; mas, despertando, viram a glória de Jesus e os dois homens que estavam com Ele. Quando estes se iam afastando, Pedro disse a Jesus: “Mestre, como é bom estarmos aqui! Façamos três tendas: uma para Ti, outra para Moisés e outra para Elias”. Não sabia o que estava a dizer. Enquanto assim falava, veio uma nuvem que os cobriu com a sua sombra; e eles ficaram cheios de medo, ao entrarem na nuvem. Da nuvem saiu uma voz, que dizia: “Este é o meu Filho, o meu Eleito: escutai-O”. Quando a voz se fez ouvir, Jesus ficou sozinho. Os discípulos guardaram silêncio e, naqueles dias, a ninguém contaram nada do que tinham visto.

Em cada Santa Missa que participamos. Jesus se transfigura e deseja que nós também nos transfiguremos. Não esqueçamos:

Jesus se transfigura em cada missa e nós temos que estar abertos para que sejamos também transfigurados.

Devemos trazer em nosso coração a recordação sempre viva de Jesus, o Filho de Deus, que no alto do Monte Tabor, se transfigura diante de Pedro, Tiago e João, enquanto da nuvem a voz do Pai proclama:

``Este é o Meu Filho amado. Escutai o que Ele diz`` (Mc 9, 7).

São Pedro, ao recordar com emoção este momento, afirma:

``Fomos testemunhas oculares da Sua majestade`` (2Pd 1, 16).

Na época atual, em que vivemos a chamada “civilização da imagem”, torna-se mais incisivo o desejo de poder encher os próprios olhos com a figura do divino Mestre, mas é oportuno recordar as suas palavras:

``Felizes os que acreditam sem terem visto`` (Jo 20, 29)

Ao terminarmos nossas visitas ao Monte Tabor, nossos peregrinos descem a montanha revigorados e com um pedido em seus corações, que assim como os apóstolos, erguendo os olhos, não viram mais ninguém a não ser Jesus eles também ao final de cada Santa Missa que participarem tenham a graça de após a benção final, erguendo os olhos, não vejam mais ninguém a não ser Jesus.

Em nossos próximos posts, continuaremos caminhando com Jesus, visitando os lugares que Ele visitou e nos deixou os fundamentos de sua doutrina que nos levará, um dia, todos, à sua casa, junto ao Pai.